Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Primeiro seminário sobre Micro Bacia do Rio Pardo é realizada em Itambé


Na última sexta-feira (24/11) foi realizado na Câmara Municipal de Vereadores de Itambé, o I Seminário Sobre a Micro Bacia do Rio Pardo, organizado pela ONG Reflorestar & Renascer, em parceria com o CEAS (Centro de Estudo de Ação Social). Com o tema “De onde vem a água que você bebe”, foi discutindo sobre a micro bacia do Rio Pardo e seus afluentes.

Tiveram presentes no seminário, representantes dos Municípios de Cândido Sales, através do Sindicato dos Trabalhadores Rurais e o Engenheiro Agrônomo da Secretaria Municipal de Meio Ambiente; de Ribeirão do Largo, através do Secretario de Meio Ambiente e representantes da Associação de Cachoeira; de Itambé, através representantes do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, assentamentos Rosely Nunes e Terra Vista, gerente da Embasa, Coordenador da Agricultura e Meio Ambiente, Igreja Católica , Poder Legislativo e o Rotaract Clube Itambé Pedra Afiada.

O seminário teve com palestrante o professor Welinton Rodrigues, do Movimento Cidade Nossa, de Cândido Sales, que falou sobre a situação do Rio Pardo, da sua nascente até a foz e discutiu alternativas para amenizar o problema da escassez de água.

Opinião da ONG Reflorestar & Renascer

O rio está praticamente morto. O que vem matado o rio são desmatamento, morte das nascentes dos afluentes e desvio das águas para irrigação de roça de café, feita pelos fazendeiros que são grandes empresários em torno da bacia do rio pardo. As barragens construídas pelos mesmos para reter a água precisam ser destruídas, ninguém tem o direito de reter para si a água que é um bem comum.

Nos últimos dias choveu bastante. Mas as águas não chegam porque são retidas pelas barragens dos fazendeiros. Não falta água, falta planejamento, faltam políticas públicas ambientais. Além disso, não podemos aceitar o desmatamento cruel e criminoso que tem matado as nossas nascentes, afluentes e consequentemente o rio. Ou cuidamos do meio ambiente, ou morremos todos nós!

Por Itambé Agora

patrocínios

patrocínios