Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Violência: Ex-mulher manda matar casal para filho ficar com herança


A ex-companheira do homem que foi morto a tiros junto com a atual esposa, em uma fazenda às margens da BA-283, entre os municípios de Itabela e Guaratinga, no sul da Bahia, teria sido a mandante do crime contra o casal, de acordo informações divulgadas nesta terça-feira (24) pela Polícia Civil.

A suspeita, o namorado dela, apontado como executor das vítimas, e mais duas pessoas foram presas. Um adolescente de 17 anos suspeito de envolvimento no crime também foi apreendido. Um sexto suspeito, já identificado, teve a prisão temporária decretada, mas segue foragido.

Conforme o delegado Robson Andrade, que investiga o caso, Daniela Pinheiro de Souza, que trabalha como designer de sobrancelha, encomendou a morte do ex-companheiro Fabrício Trevizani e da atual mulher dele, Marycélia Bobbio, para que o filho que teve com Fabrício pudesse ficar com a herança só para ele.

Segundo a investigação, Daniela teria ficado irritada com a informação que obteve de que a atual mulher de Fabrício estaria grávida dele. “Daniela foi esposa de Fabrício por um tempo e, nessa relação, os dois tiveram um filho, hoje com seis anos de idade. O fato de ficar sabendo da gravidez da atual companheira de Fabrício levantou a ira dela, porque ela queria que a herança de Fabrício, que é fazendeiro e tem um certo poder aquisitivo, ficasse somente para o filho dela”, disse o delegado, em contato com o G1.

No dia do crime, um filho de Marycélia, de quatro anos de idade, fruto de um outro relacionamento dela, também estava dentro de casa, dormindo na sala, mas não se feriu. O filho de Fabrício com a suspeita presa está com os avós maternos, segundo a polícia.

A polícia informou que Daniela ficou sabendo que Marycélia estaria grávida após a atual mulher de Fabrício divulgar essa informação em um grupo do WhatsApp. “Fabrício e Marycélia fizeram uma viagem para Sergipe na semana passada e, quando retornaram para a Bahia, ela postou num grupo de família que estava grávida, de dois meses, dele. A informação chegou aos ouvidos de Daniela e despertou a ira dela”, contou o delegado.

A polícia ainda não sabe dizer, no entanto, se Marycélia realmente estava esperando um filho e aguarda a conclusão de um lado feito pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT).

Após saber da notícia, segundo a polícia, Daniela pediu ao atual companheiro, Jhonatan da Silva Teixeira, que matasse Fabrício e Marycélia na fazendo onde o casal morava, na localidade de Escadinha. Jhonatan, então, teria pedido o auxílio de colegas para praticar o crime, conforme a investigação.

Além dele, a polícia diz que um homem de prenome Rafael, que atua como segurança do Hospital Regional de Eunápolis e como promotor de eventos, outro conhecido como Taniro e o menor de 17 anos também participaram do crime. Conforme o delegado, além de amigo de Fabrício, Taniro é primo do adolescente. Todos já foram localizados pela polícia, na segunda-feira (23).

Somente um suspeito, identificado como Eferson Queiroz Santos, que segundo a polícia, também participou da ação, segue foragido. O delegado informou que ele já teve a prisão preventiva decretada pela Justiça e está sendo procurado.

“Todos eles participaram da ação, mas foi o Jhonatan quem atirou nas vítimas. Ele ainda esfaqueou o Fabrício ao ver que a vítima ainda estava viva, agonizando. Os demais foram para a fazenda mais com o intuito de roubar pertences do local. Combinaram de dividir tudo depois. Mas, como durante a ação criminosa um alarme disparou, eles fugiram sem levar nada do casal morto”, contou o delegado.

Do local, segundo a investigação, só foram roubados uma arma de um caseiro e o celular da mulher do caseiro. Os dois não ficaram feridos. A polícia informou que tanto as armas utilizadas no crime, quanto a que foi roubada do caseiro já foram localizadas. O celular roubado na ação também já foi encontrado.

“O primeiro a ser localizado foi o adolescente, na segunda-feira (23), após ouvirmos testemunhas. Depois, chegamos aos demais. Ele [o adolescente] indicou que foi para a fazenda junto com o primo, Taniro, que é colega de Jhonatan. Descobrimos depois, no entanto, que o adolescente também trabalha como segurança em eventos que Jhonatan promove. Fomos montando o quebra-cabeças e, então, chegamos ao esclarecimento do caso. Resta, agora, localizarmos o último suspeito”, disse o delegado.

Ainda de acordo com o delegado Robson Andrade, todos confessaram envolvimento no crime, exceto Rafael, que trabalha como segurança do Hospital Regional de Eunápolis. “O Rafale nega que tenha participado da ação e ainda diz que sequer conhece os demais suspeitos, mas todos os outros apontam ele como participante”, destacou.

Por G1 notícias

patrocínios

patrocínios