Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Prefeito de Irecê e acusado de causar buraco nas contas da gestão


de oposição ao prefeito de Irecê, no centro norte baiano, acusam Elmo Vaz de exagero nos gastos da gestão da cidade nos primeiros seis meses de mandato. Segundo a vereadora Margarida Cardoso, Vaz gastou mais que os dois últimos anos anteriores, 2016 e 2015, apesar de ter recebido mais recursos. O levantamento da oposição aponta que a receita [o que entrou] foi: Jan a junho de 2016, R$ 57.077.000, Jan a junho de 2017 R$ 64.291.000, saldo de R$ 7.214.000 a mais que entraram nas contas de Irecê até junho deste ano. Nas despesas com pessoal, os dados são: Jan a junho de 2015 - R$ 26.777.477, Jan a junho de 2016 - R$ 27.318.750, Jan a junho de 2017 - R$ 31.755.064. Ainda segundo a oposição, na manhã da última quarta (23), o prefeito Elmo Vaz anunciou cortes nos salários de servidores e demissões como forma de “amenizar a crise financeira”. Ainda segundo a vereadora, o prefeito seguiu na contramão de todos os preceitos básicos de economia do dinheiro público e inchou a máquina desde o primeiro mês de gestão, nomeando mais de 300 cargos de confiança, 13 secretários, 13 sub-secretários, além de gastos elevados com combustível, festas, hotéis, contratos e manutenção da máquina pública.

Por Bahia notícias

patrocínios

patrocínios