Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Boa Notícia: Coelba entra em acordo com provedores de internet e “apagão” é descartado na Bahia

Prazo de adequação as novas regras de uso dos postes foi estendida para 90 dias, válido em toda Bahia. Representante da Anatel acompanhou as negociações.
A possibilidade de o fornecimento de internet a cabo ser suspenso por 24h na Bahia foi descartada nesta segunda-feira, 12, após reunião entre representantes das empresas provedoras, que prestam o serviço, e a Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba). Nas últimas semanas, o Sindicato das Empresas de Internet do Estado da Bahia (Seinesba) reclamou dos novos critérios para o cabeamento nos postes que a Coelba teria imposto, com a exigência de cumprimento das ordens em um prazo de 30 dias, tempo que o sindicato considerou curto. Na reunião desta segunda, com a presença de um representante da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), ficou acordado um prazo de 90 dias para a regularização, a partir do diagnóstico apresentado pela companhia.
À reportagem de, o Supervisor de Serviço Técnico da Coelba, Eduardo Girardi, explicou que a companhia somente coloca em prática as regras já existentes, desde 2014, da Aneel e Anatel, agências reguladoras do setor de energia e telefonia, respectivamente. Todo o trabalho feito pela distribuidora de energia é realizado com comunicação prévia e em conjunto com as empresas de telecomunicações. “A Coelba não estabeleceu nenhuma mudança na relação já existente da Aneel e Anatel. Comunicamos apenas paras as empresas de internet a necessidade de verificar e ordenar o cabeamento, até por questões de segurança”, disse.
Em nota, a Coelba disse também que não está realizando corte indevido de cabos de empresas de internet em Salvador. “O trabalho de reordenamento das fiações nos postes da distribuidora foi iniciado no final de 2015 e consiste na identificação, retirada de cabos inativos e equipamentos instalados à revelia, coordenação e monitoramento das ações de regularização do cabeamento das telecomunicações e de organização das situações como emaranhados de fios, exposição de riscos de acidentes e poluição visual na cidade”. Ainda segundo a empresa, apenas em 2016, foram ordenados 45 Km de cabos de telefonia e telecomunicações em 11 grandes corredores viários de Salvador e retiradas cerca de 1,5 toneladas de materiais das redes de telefonia/telecomunicações, instalados irregularmente.


Por A Tarde.

patrocínios

patrocínios