Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Outubro Rosa: previna-se contra o câncer de mama

No Brasil, casos de mulheres com a doença chegam a 60 mil



O outubro chegou e, com ele, a importante campanha de conscientização e prevenção ao câncer de mama: o Outubro Rosa. Em todo o Brasil, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca), são esperados cerca de 60 mil casos até o final do ano. Os números assustam e, por isso, a Unimed Catanduva abraça mais esta causa e realiza, assim como demais órgãos de saúde, uma intensa campanha de conscientização sobre o câncer de mama: e-mail marketing, matérias em jornais e entrevista em televisão com profissionais da área, campanhas em páginas sociais, na Fanpage e também no site da operadora, palestra nas empresas, além de uma camiseta utilizada por todos os colaboradores que atendem o público, são parte desta iniciativa. “Somos uma empresa que preza pela saúde de toda a população, e não somente de nossos beneficiários. Desejamos, com a campanha, abranger e conscientizar o maior número possível de pessoas e, desta forma, tornar as informações mais acessíveis”, disse o presidente da cooperativa, Dr. Armindo Mastrocola Júnior.

O câncer de mama tem como causa diversos fatores diretamente relacionados ao aumento do risco de desenvolvimento da doença. De acordo com o ginecologista e mastologista Dr. Bruno Christiani Sabino, cooperado da Unimed Catanduva, fatores como idade, história reprodutiva e endocrinológica, além de hábitos comportamentais, como o tabagismo, ambientais e genéticos/hereditários, são preponderantes para o surgimento do câncer de mama. “Controlar o peso e evitar a obesidade, por meio de uma alimentação saudável, praticar exercícios físicos regularmente e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama”, disse.

 As chances de um tratamento mais eficiente e até a cura do câncer de mama aumentam quando o mesmo é detectado ainda em sua fase inicial. Quando diagnosticado com tamanho aproximado de um centímetro, as taxas de cura total da doença chegam a 90%, com maiores chances de preservação da mama e tratamento menos agressivo para a mulher. A mamografia é o principal exame preventivo e de rastreamento para a doença. A recomendação é para que o exame seja feito a partir dos 40 anos, uma vez ao ano. “Para as mulheres já diagnosticas com câncer de mama e tratadas da doença, orientamos a consulta periódica com mastologista e exames complementares de acordo com a necessidade em cada caso”, reforçou o Dr. Bruno Sabino.

Por Regional notícias

patrocínios

patrocínios