Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Grupo é preso por aplicar vacina falsa contra H1N1

Segundo a PF, doses vindas do Paraguai custavam R$ 250

Crime. Com o aumento de casos de H1N1 em Naviraí, grupo passou a vender vacina clandestinamente

PUBLICADO EM 22/05/16 - 03h00

Mato Grosso do Sul. Policiais federais prenderam, na noite de anteontem, três irmãos libaneses e um brasileiro em Naviraí, município localizado a 350 km da capital de Mato Grosso do Sul, por montarem uma clínica clandestina para comercializar vacina contra H1N1 comprada no Paraguai.

Segundo a Polícia Federal, o grupo cobrava até R$ 250 por dose. As informações foram divulgadas pelo portal de notícias G1.

As supostas vacinas teriam sido adquiridas na cidade paraguaia de Salto del Guairá. A polícia investiga se eles tiveram ajuda de um quarto libanês que mora nessa cidade, que fica na fronteira com o Brasil.

BH recebe remessa de vacinas antigripe

Vacinação contra a gripe atinge 71% do público-alvo

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe se encerra nesta sexta

A venda de vacinas ou medicamentos sem autorização de órgãos competentes é proibida pela legislação brasileira. De acordo com o item VI do art. 273 do Código Penal, estará sujeito a penalidades aquele que importa, vende, expõe à venda, tem em depósito para vender ou, de qualquer forma, distribui ou entrega a consumo produto medicinal adquirido de estabelecimento sem licença da autoridade sanitária competente.

Segundo o G1, na casa dos irmãos libaneses, foram encontradas dezenas de seringas, muitas usadas, e vários frascos cheios do que seria a vacina contra a influenza. No local, também foram encontradas armas, munições e silenciadores.

O material apreendido foi enviado para Campo Grande e vai passar por uma perícia, que vai identificar se os frascos continham mesmo vacina ou se era outra substância.

Muitos casos. A população de Naviraí, onde o grupo foi preso, está com medo diante de um surto de casos de H1N1. Apenas na última semana, foram confirmados 13 casos e quatro mortes por causa da doença na cidade. As escolas estaduais, municipais e particulares anteciparam as férias. Além disso, o hospital da cidade suspendeu as visitas por 20 dias, e moradores passaram a usar máscaras nas ruas.

Até início de maio, foram registrados 2.375 casos de gripe pelo H1N1 no país, sendo que 470 morreram em decorrência da doença.

No país

Balanço. Segundo balanço do Ministério da Saude, Paraná (84%), São Paulo (89,4%), Amapá (86%), Espírito Santo (87,6%) e o Distrito Federal (89,2%) se destacaram ao cumprirem a meta de vacinação.

Por:http://www.otempo.com.br/capa/brasil/grupo-é-preso-por-aplicar-vacina-falsa-contra-h1n1-1.1304015

patrocínios

patrocínios