Parceiros

Parceiros
Mercevolks

Parceiros

Utilizando o nome de José Tiago Ribeiro Viana, Joari trabalhou durante um mês e tinha em conta 8 mil reais



O enfermeiro preso que se passava por médico e exercia a profissão na zona rural de Cordeiros, a 674 km de Salvador, pode ser condenado a 24 anos de prisão. Segundo informações da TV Bahia, Joari Ramos de Oliveira, 26 anos, chegou até a realizar um parto no Hospital Joaquim Mutti de Carvalho. Ele também atuava no posto de saúde da família do distrito de Alvorada - 32 horas por semana e atendia cerca de 30 pacientes por dia.

Utilizando o nome de José Tiago Ribeiro Viana, Joari trabalhou durante um mês e tinha em conta 8 mil reais. Ainda segundo a TV Bahia, esse dinheiro já foi estornado.
<iframe width="640" height="390" src="http://www.youtube.com/embed/LCqLYbffBIQ" frameborder="0" allowfullscreen></iframe>
O delegado do município informou que o acusado foi indiciado por cinco crimes: falsidade ideológica, utilização de documentos falsos, estelionato, exercício ilegal da medicina e corrupção ativa. Ele encontra-se custodiado na Delegacia Territorial de Condeúbas, à disposição de Justiça.

O enfermeiro foi descoberto depois que o verdadeiro médico, do qual tirou cópias de documentos como RG, CPF e diploma de um médico, percebeu que tinha ultrapassado a sua carga horária e a existência de outra pessoa exercendo a medicina no seu lugar. O médico denunciou o caso para o Conselho Regional de Medicina (CRM), que acionou a polícia.

Joari trabalhou juntamente com José Tiago na cidade de Encruzilhada, a 645 km de Salvador.

Redação CORREIO

patrocínios

patrocínios